PicPay fará mudanças na conta digital

Atualizado em 26 de fev de 2024

Assim como o Nubank, agora o PicPay também terá mudanças nas suas regras de investimento. Veja mais detalhes sobre o que mudou.

O PicPay é um aplicativo de pagamentos interessante para quem quer manter uma carteira digital com recursos de pagamentos de contas, transferências e compras em um único lugar, substituindo os bancos tradicionais.

Recentemente, o Nubank, outro serviço digital para transferência de valores bastante utilizado, mudou suas regras da conta rendeira. Seguindo seus passos, o PicPay também resolveu fazer algumas alterações.

Atualmente, ele segue pagando 102% do CDI diariamente. Porém, apenas os saldos de investimento de até R$100 eram remunerados a 102% do CDI. Passando disso, a remuneração era de 100% do CDI.

É aqui que as mudanças começam. Segundo o PicPay, os recursos dos clientes serão migrados (que estão hoje alocados em títulos públicos) para CDB de emissão do PicPay Bank.

Isso significa que, independente do saldo em conta, ele renderá 102% do CDI.

A conta digital também teve alterações

Além da conta rendeira não ter mais limite saldo para retorno de 102% do CDI, O PicPay também anunciou mudanças na conta digital, que não são tão vantajosas para os clientes.

A empresa vai migrar aos poucos os recursos dos clientes, atualmente alocados em títulos públicos, para CDB. Apesar de não parecer um problema, já que os CDBs também contam com o FGC (Fundo Garantidor de Créditos), essa garantia é inferior à encontrada nos títulos públicos (cedido pelo governo federal), sem limite de investimento.

A garantia do FGC tem um limite de R$250 mil por CPF em uma instituição financeira. É por isso que é recomendado distribuir as aplicações em outras instituições, e não alocar tudo em uma única.

Portanto, apesar da nova regra do PicPay disponibilizar a remuneração acima de R$100 mil a 102% do CDI, ela impõe um novo limite de R$250 mil de saldo, já que não é aconselhado ultrapassar esse valor na conta.

Quem preferir pode manter o saldo alocado em títulos públicos – mas com desvantagens

Aqueles que desejarem não optar pelo CDB, poderão permanecer com seus saldos depositados em títulos públicos, mas sem rentabilidade.

Isso faz com que o investidor fique sem muitas opções vantajosas e acabe indo para os CDBs. Essa migração ainda resultará na cobrança de IOF em cima dos rendimentos com menos de 30 dias, somado ao IR cobrado atualmente.

O Nubank teve uma mudança parecida no seu sistema

A NuConta, do Nubank, também anunciou recentemente novas regras na sua conta digital. Os investimentos novos passaram a render 100% do CDI, após o período de 30 dias. Os recursos que permanecerem na conta por menos tempo não terão mais remuneração.

A diferença positiva da NuConta foi a possibilidade do investidor poder manter seu saldo em títulos públicos com o mesmo rendimento de 100% do CDI – independente do valor.

Essa opção torna o cenário de aplicação no Nubank, para alguns investidores, mais vantajoso do que no PicPay.

Admin